Tutorial de Quinta Acid Machine (Pt 1)

Quando o Educandário Trackers inaugurou, no longínquo ano de 2007, a nossa proposta inicial era a divulgação de técnicas de produção musical de baixo orçamento que alcançasem um resultado profissional ou pelo menos bem próximo disso. Optamos então pelos softwares livres de código aberto, como o gravador e editor de som digital, Audacity e os programas freeware de código fechado, como os Trackers, que gostamos tanto que demos esse nome para a escola.

Agora em 2016, reformulamos completamente o site, e entre as inúmeras seções deste Journal, decidimos incluir esta coluna semanal com trocadilho depreciativo (mas que funciona como piada interna – por anos brinquei com os promoters das “festas de quinta”) para explicar como tirar algum som de aplicativos de composição eletrônica. E a escolha do emulador online do sintetizador analógico TB-303 da Roland, pareceu bem adequada. Em parte porque o Acid Machine é gratuito, funciona via browser e dá pra gravar seu trabalho em arquivo wav. Some-se isso ao fato de não se encontrar um manual de como pilotar esse painel no site dos desenvolvedores, Errozero, talvez porque ainda seja uma versão beta. Mas o motivo principal é quase afetivo, este emulador não traz apenas uma TB-303, mas duas, além de um acompanhamento de bateria eletrônica muito similar à TR-808, também da Roland, todos ligados a um sequenciador; o que nos lembra muito o freeware ReBirth-338, um dos primeiros cursos que apresentamos no Trackers naquele 2007.

Entenda a interface

Na figura acima, temos o painel de controle no topo da interface (1), com os botôes de Play, Record (reproduzir e gravar), um seletor de BPM e o botão New, que reseta o projeto. Em (2) e (3) temos as duas TBs – geralmente se usa uma como o sintetizador tema e a outra como linha de baixo – com seus receptivos seletores de loops, os botões 1 a 8 à esquerda de cada máquina. Na figura a interface das duas TBs está diferente, por eu ter clicado o botão piano roll, que abre a grade de um sequenciador interno e em seguida o Randomize, que criou uma sequência aleatória – os retângulos preenchidos de vermelho. Em (4) temos efeitos indepedentes de delay e distorção para cada TB, além de seus controles de volume. Em (5) temos a bateria eletrônica, com o instrumento BD (bass drum – o bumbo) selecionado e programado nos tempos 1, 5, 9 e 13 – destacados em laranja, fazendo um ritmo básico de 4×4. Por fim, abaixo de tudo em (6), encontramos o sequênciador, que arranja os padrões de todos os intrumentos para tocarem juntos a sua música.

Parte 1 – Programando a TB-303 do modo clássico

A sigla TB significa Transistor Bass – o conceito original do produto era simplesmente servir como baixo de acompanhamento para guitarristas. A TB-303 era monofônica, isso quer dizer que tocava apenas uma nota por vez, não sendo possível criar acordes nela. A programação também se fazia nota por nota, pelo seletor de steps (3) na figura abaixo:

   

O seletor em (1) determina a forma de onda do único oscilador que irá gerar o som – SW é a onda Sawtooth (dente de serra) e SQ a onda quadrada. A onda gera um timbre que é modulado pelos controles em (2):

Tune é o tom, ajusta o pitch, mais grave para a esquerda e mais alto para a direita.

Cutoff Esse botão controla a “cor” do tom. Girando para a direita vai gradualmente cortar harmônicos mais altos e baixar o volume.

Reso Realça a resonância de algumas frequências, quanto mais para a direita, maior o efeito de brilho nas notas.

Env Mod. – Controla a modulação de envelope que dá o movimento de cada nota.

Decay É o tempo de decaimento da nota e determina a sua duração, mais curta para a esquerda e mais longa para a direita.

Accent É a intensidade do acento da nota, programado no seletor AC em (6) na figura.

Em (4) temos o teclado da TB e em (5) botões que descem ou sobem oitavas no timbre.

Acione o botão mute na TB de baixo e na TR. Click em Play e você vai ouvir uma sequência de notas C em loops de 16 steps. Vamos re-escrever este loop, step por step de modo que a nova frase se torne uma escala menor de base C. Então, a primeira nota, determinada pelo seletor marcando 1 em current step, já esta destacada em azul:

acidmachine3

A melodia que eu pretendo programar é a seguinte:

step 1 – C4

step 5 – D#5

step 9 – silencio

step 13 – silencio

step 2 – silencio

step 6 – silencio

step 10 – silencio

step 14 – D#4

step 3 – G3

step 7 – G3

step 11 – silencio

step 15 – silencio

step 4 – silencio

step 8 – C4

step 12 – D#4

step 16 – C5

Para que a segunda nota não toque, slecionamos 2 em current step e clicamos no C em destaque para “desligar” o pitch da nota:

Mude o seletor para 3 e escolha a nota G#3 no teclado, para isso precisamos selecionar também o botão que baixa uma oitava.

No step 4, desligamos a nota selecionada. No step 5, acionamos o botão que aumenta uma oitava para poder escrever a nota D#5:

Prossiga  até o step 16, lembrando de desabilitar os botões que mudam as oitavas quando as notas estiverem com valor 4, baixar uma oitava quando tiverem valor 3 e acionar o que sobe uma oitava quando o valor da nota for 5. Assim que terminar, clique em record e logo em seguida em play. Acione stop depois de 4 loops. Imediatamente um arquivo wav é salvo na sua pasta de downloads com o nome Acid Machine, seguido de um numero com 13 digitos. O som pode variar se você mexer nos botoes dos moduladores de timbre enquanto grava. No arquivo que eu mesmo gravei, estou mexendo no botão de cutoff, com o mouse.

Na sequência acima, todas as notas têm a mesma intensidade e duração. Não selecionei accent, que dá ênfase na nota, nem slide, que estica a sua duração. Volte cada step e acione os comandos accent e slide para algumas notas e perceba a diferença. Na minha nova programação, dei slide na nota C4 do step 8, e mantive o slide nos steps 9, 10 e 11, que não tinham notas programadas. Dessa forma minha C4 em 8, será quatro vezes mais longa que as notas de apenas um step. (Considere que um step, seria a duração de uma “semicolcheia” para usar a nomenclatura musical formal). Para gravar o segundo arquivo, coloquei o botão cutoff todo para a esquerda e o reso para a direita. Então fui invertendo os botoes de posição em tempo real nos 8 loops. Também acionei os efeitos de distorção e delay

Quando estiver satisfeito com o seu loop, grave-o para um arquivo porque essa versão beta exporta, mas não salva o projeto. Para criar novos loops sem alterar o primeiro, utilize o seletor com os números 1 a 8 à esquerda da máquina. Essa era forma que a TB-303 foi criada para compor – step por step. Na parte 2 desse tutorial, mostrarei como se editam as notas no piano roll, recurso desta versão que torna a programação mais fácil por visualizar a grade completa de notas. Além disso veremos como programar a TR-808 e o sequenciador. Não perca tudo isso na próxima quinta, ou assine a newsletter para ser avisado das novidades no site.

Niki Nixon

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 3 =